Estudantes de 34 diferentes países estão na SEDA este ano

A SEDA tem estudantes de 34 países – da Coreia do Sul a América do Sul e do Malawi na Africa a Croácia na Europa.

Estudantes de 34 diferentes nações se matricularam para estudar na SEDA este ano. O colégio tem agora um corpo de estudantes verdadeiramente multicultural e provou ser popular com pessoas de todo o mundo – da Coreia do Sul a América do Sul e do Malawi na Africa a Croácia na Europa. Mês passado a direção da SEDA compilou estatísticas oficiais para ver quantos estudantes se matricularam para cursos desde janeiro até o final de outubro deste ano e para saber de onde eles eram.

Os números mostram que o maior grupo de estudantes vieram do mundo de língua espanhola – países como Espanha, Venezuela e México juntos somaram quase 50% de todos os estudantes matriculados na SEDA até agora. Outro grande grupo de estudantes veio do Brasil, que foi o maior “país de origem” deste ano, com 529 alunos brasileiros matriculados em cursos em 2012 (34% do total). No entanto, a Espanha perdeu apenas por pouco, com 525 estudantes espanhóis inscritos. A SEDA teve 214 alunos da Venezuela (14% do total), 92 estudantes franceses (6%) e 78 alunos do Malawi (5%), um país conhecido como “o coração quente da África”.

SEDA - Estatisticas Oficiais
SEDA – Estatisticas Oficiais

“É maravilhoso que nossos alunos venham de tantos países diferentes”, disse a diretora de estudos da SEDA Carol Cregg. “Uma das grandes coisas sobre ir para o exterior para estudar é que você conhece pessoas de outras culturas – isso torna a experiência do intercâmbio muito mais rica. Diversidade em sala de aula também ajuda os alunos a aprender Inglês porque eles são obrigados a falar a língua com seus colegas que não falam o mesmo idioma que eles “.

A SEDA continua a atrair estudantes de novos países. Recentemente os primeiros alunos da escola vindos da Finlândia e da Grécia se inscreveram para os cursos de inglês. E este mês a equipe de Marketing da SEDA irá participar em feiras de intercâmbio na América do Sul, incluindo o Panamá e Costa Rica.

Para mais informações sobre a SEDA, entre em contato – [email protected] 

Materia feita por Viktor Posudnevsky

Leia Também: Nunca é tarde para aprender, diz Luis, aluno da SEDA de 68 anos

Faça seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.