Como levar dinheiro pro exterior durante o intercâmbio

Cartão do Brasil, dinheiro dentro da roupa, transferências bancarias. O que funciona lá fora.

Como levar dinheiro pro exterior durante o intercâmbio
Como levar dinheiro pro exterior durante o intercâmbio

O que vai mandar aqui é a sua relação com o dinheiro. Eu por exemplo, sou péssima! Mas se você tem mais a cabeça no lugar, é legal ver as possibilidades atuais.

A Universidade vai te dar uma ajuda financeira? Ou sua família vai ajudar? De repente você vendeu carro, televisão e raspou a conta pra ir morar fora. Cada caso é um caso.

Até o ano passado a melhor opção para levar dinheiro do Brasil pro exterior eram os cartões tipo o Visa Travel Money. Mas o governo aumentou muito as taxas e hoje em dia esta já não é a melhor opção.

É essencial abrir uma conta em um banco assim que você chegar em outro país. Todo banco tem condições especiais para universitários. Taxas menores, menos exigência de papelada, rapidez na abertura da conta.

Eu particularmente não indico a transferência frequente entre bancos no Brasil e no exterior. As taxas estão pela beira da morte e a burocracia geralmente é desgastante. Antes de ir, fale com alguém do banco e peça detalhes. Dependendo do banco, transferências pontuais possam valer a pena.

O PayPal é uma outra opção ainda pouco explorada. Em alguns países ele já tem até cartão de débito. Eu tenho o meu. É só você ver a taxa cobrada pelo PayPal e comparar.

Usar o cartão de crédito tradicional no exterior atualmente é a opção mais indicada. Mas aí vai depender de quem vai pagar a conta que chegar aqui no Brasil.

Por mais louca que pareça, caso ninguém vá te mandar dinheiro do Brasil, eu indico levar uma boa quantidade em espécie e colocar no banco assim que chegar no exterior. Um porque você vai precisar pagar determinado valor pelo lugar onde você vai morar. E dois porque você chega no outro país, abre sua conta, coloca seu dinheiro ali, ganha um cartão e começa cuidar dele como se fosse um bebê recém-nascido.

O visto de estudante te permite trabalhar ou estagiar determinado número de horas por semana, então porque não procurar um estágio remunerado? Por mais baixo que seja o valor, dinheiro é dinheiro. Muita gente opta por fazer bicos enquanto mora fora. Estando dentro da legalidade e não atrapalhando o motivo principal pelo qual você viajou – os estudos – porque não?

Antes de viajar, guarde os dados dos seus cartões de crédito e documentos no seu e-mail, deixa uma cópia com a família e com um amigo de confiança no Brasil. Tenha também os telefones de ajuda no exterior caso você perca algum cartão. Já perdi inúmeras vezes cartões por ficarem presos nos caixas eletrônicos. Devo ter cancelado cartões meus em pelo menos quatro países. Na Austrália foi o mais trash.

Na semana que vem a coluna vem mais séria e responsável (assim como eu, claro) chamando atenção pra algumas dicas de segurança. Não quero ver a mãe de ninguém preocupada no Brasil porque você não atende o celular.

Te espero na próxima quinta.

Leia minhas outras colunas:

  1. Quero estudar fora. Por onde começar?
  2. Organizando os documentos para estudar fora
  3. Fui aceito em uma Universidade Estrangeira. E agora?

Comentários

  1. Dany, boa tarde!

    Se quiser, podemos lhe ajudar a enriquecer ainda mais seus comentários e dicas sobre câmbio. O que acha?

Faça seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.