Tecnologia e planejamento: aliados na gestão de viagens corporativas

Realizado pela Master Turismo, o 2° Workshop Viagens Corporativas convidou importantes nomes para debater os principais desafios do setor.

Maio, 2014 – Com foco na melhoria do processo de gestão das viagens de negócios, o 2° Workshop Viagens Corporativas realizado pela Master Turismo aproveitou a manhã do dia 22 de maio, no Hotel San Diego em Belo Horizonte, para promover uma série de discussões acerca dos principais temas que desafiam o setor. Importantes nomes como Milena Rodrigues, gestora de viagens da GDF Suez Energy América Latina, Carolina Monari, gestora de viagens da Cyrela Brazil Realty, Rogério Miranda, diretor da Lemontech, Manoel T. Vale, diretor do Bradesco Cartões, Daniel Cattani, gerente regional da TAM Linhas Aéreas e Renato Melo, gerente nacional de vendas da GOL Linhas Aéreas, participaram do evento. “Até pouco tempo atrás a gestão de viagens nem aparecia no planejamento de uma empresa, hoje é uma área estratégica, mesmo não estando diretamente ligada ao business”, afirmou Milena.

[scrollGallery id=42]

Coordenado pelo diretor comercial Lenini Lamounier e pelo diretor de novos negócios Rodrigo Santos, da Master Turismo, o evento recebeu cerca de 200 gestores de viagem, profissionais da área financeira, de marketing e de RH, que estiveram presentes para trocar experiências e se atualizar sobre as novidades e tendências no segmento. Fernando Dias, presidente da Master, em seu discurso de abertura disse que “hoje não existe negócio sem tecnologia, mas a relação humana, o olho no olho, não pode ser esquecido, por isso nos reunimos presencialmente aqui hoje”. E foi exatamente a tecnologia que esteve em pauta no primeiro debate da manhã. Sob o tema Os Pilares e tendências da gestão de viagens o grupo discutiu a atuação das OBTs (Online Booking Tools), os benefícios gerados a partir do uso dos cartões de crédito corporativos e a necessidade de se investir em ferramentas de gestão capazes de organizar os fluxos e fazer análises comparativas. “Não existe uma fórmula mágica para economizar, mas utilizar a tecnologia para armazenar dados e solucionar o gerenciamento do centro de custos é de suma importância para tornar a gestão mais eficaz”, explicou Rogério Miranda.

A tecnologia, contudo, não foi a única boa prática considerada. Carolina Monari defendeu uma política de viagens estruturada, que vise a organização e a redução de custos. “No inicio, a implantação de uma política de viagens acaba sendo compulsória mesmo, mas depois que a cultura se estabelece entre os funcionários, ela mostra-se fundamental”. Nesse contexto de planejamento, a Copa do Mundo não poderia deixar de ser citada e o grande consenso entre os presentes é a falta de estrutura aeroportuária, que impacta negativamente na capacidade e qualidade do serviço prestado. Mas, apesar da orientação geral entre as empresas ainda ser a de evitar ao máximo as viagens no período do Mundial, o setor começa a perceber que os impactos não serão tão relevantes como se pensava. “Vimos uma alta expectativa do mercado, mas uma baixa concretização. Tenho certeza que vão encontrar disponibilidade, preços atraentes e boas tarifas durante todo o período da Copa”, disse Daniel Cattani.

Foi dele, inclusive, o case do dia, apresentando a recente fusão da TAM com a chilena LAN, hoje conhecida como LATAM Airlines, e a escolha pela aliança global Oneworld. Anteriormente a TAM fazia parte da Star Alliance, mas a movimentação do cenário econômico mundial fez a empresa repensar suas parcerias. “Precisávamos tomar uma decisão estratégica e percebemos que os Estados Unidos estão se recuperando com mais força que a Europa”, contextualizou Cattani. Com a nova parceria a TAM ganha 45 novos destinos de viagens, incluindo países inéditos para a companhia, como Austrália, Japão e Rússia. São, portanto, mais de 700 destinos oferecidos em cerca de 150 países.

O evento encerrou sua programação debatendo os acordos entre os diferentes fornecedores do trade e as necessidades de conhecer melhor o negócio do parceiro. Jamyl Jarrus Jr., diretor comercial da Movida Rent a Car, aproveitou a oportunidade para apresentar as vantagens do aluguel de veículos para o setor corporativo e abriu novas possibilidades de negócios. Gustavo Syllos, consultor da Forma & Conteúdo reforçou que “bons acordos se fazem a partir de contatos e esses acontecem a partir da frequência com que se necessita do serviço. É o caso das agências de viagens, pois elas têm volume e know how na negociação”, explicou.

O 2° Workshop Viagens Corporativas contou com o patrocínio do Hotel San Diego Suítes, que pertence à rede de Hotéis Arco e também das empresas Movida Rent a Car, TAM Linhas Aéreas, Azul Linhas Aéreas, Gol, Assist Card, Tap Portugual, United Airlines, Lufthansa, Avianca, Copa Airlines, Victory Suites, Lemontech, Travelport, Bradesco Cartões, Air France|KLM|Alitália, além do apoio institucional da Câmara Portuguesa de Comércio no Brasil – Minas Gerais e da Abracorp.

Dicas de planejamento para viagens corporativas no período da Copa:

Hotéis e companhias aéreas ainda têm muita disponibilidade para o período da Copa, exceto em jogos decisivos como a final e a semifinal. Para viajar a trabalho os preços ainda estão atraentes, basta ter planejamento. Por isso, a Master Turismo preparou uma lista de dicas que podem ajudar a organizar as viagens corporativas. Confira:

  1. Planejar as viagens com o máximo de antecedência.
  2. Viajantes frequentes para um mesmo destino devem se comunicar periodicamente para tentar casar as agendas e dividir despesas de deslocamento terrestre e quartos de hotel. Os sistemas das agências de viagens corporativas permitem que seja gerado um calendário mapeando quem está se viajando e hospedando numa determinada cidade e num determinado dia.
  3. Destinos frequentes de uma mesma empresa com mais de 10 diárias / mês podem ter opções de aluguel mensal de quartos (long stay) em flats ou até mesmo hotéis em melhores condições do que diárias isoladas.
  4. Priorizar companhias aéreas com políticas de preços máximos para o período em viagens de emergência com passagens compradas na véspera.
  5. Estar atento a novos voos lançados por cias aéreas nacionais e internacionais.
  6. Horários alternativos e flexibilidade na ida e volta podem gerar economias.
  7. Permanência em cidades próximas aos locais a serem visitados pode proporcionar tarifas mais em conta.
  8. Poupe tempo nos aeroportos e garanta o seu embarque, antecipando os cartões via WEB CHECK-IN!

 

Faça seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.