Intercâmbio exige estudo e disciplina

Vida de intercambista não é só diversão é preciso muita dedicação para obter resultados positivos.

Para quem pensa que fazer intercâmbio é só diversão, se engana, para obter resultados positivos é preciso muita dedicação e estudo, a rotina de um intercambista é puxada, entretanto enriquecedora. De acordo com a Diretora Expert da Experimento Intercâmbio Cultural, Ludmila Teles, um pacote de idiomas, por exemplo, cobre as necessidades básicas no país estrangeiro e é suficiente para se viver sem extravagâncias, porém, os ganhos de se estudar no exterior superam as expectativas.

Helen Costa, de 29 anos, cliente da Experimento, está Berkeley, na Califórnia, onde está passando uma temporada de dois meses. Para ela uma das vantagens de se fazer um intercâmbio é possibilitar a dedicação exclusiva, o que nem sempre é possível no Brasil. “A imersão no idioma é o que torna o programa tão diferente daquela rotina de ir para escola de inglês uma ou duas vezes por semana, sentar por 50 minutos em uma sala, e acabar conversando mais em português que em inglês, por exemplo. Aqui você vive o dia a dia, conhece alunos do mundo todo e, não tendo a opção de se comunicar em sua língua nativa, você aprende a se virar e transforma a experiência em uma lição de vida”.

Helen Costa conhecendo lugares novos na Califórnia
Helen Costa conhecendo lugares novos na Califórnia

A rotina de Helen é assim: “Eu acordo às 6h20, tomo café da manhã na casa de família onde estou hospedada, pego o ônibus para a aula de inglês, onde fico das 8h às 13h. Depois vou lanchar, porque aqui eles não almoçam, e depois das lições de casa, faço os programas socioculturais que a escola oferece além de viajar com meus amigos nos finais de semana. Passo o dia inteiro fora, por volta de 18h pego o ônibus ou metrô e volto para casa, tomo um banho, janto, alguns dias saio à noite, outros não aguento de cansaço e durmo cedo, é uma rotina intensa, mas compensa”, afirma.

Apesar da rotina cansativa o intercâmbio oferece algo que só se adquiri saindo de casa, amadurecimento, confiança e independência. “Estar longe da família, dos amigos, e de repente se ver em um país, com clima, costumes, crenças e culturas diferentes do seu, morar com pessoas que você nunca viu na vida, tentar ser aceito e fazer novas amizades, no primeiro momento isso tudo pode assustar e muito, mas com o tempo isso tudo muda, você aprende “a se virar sozinho”, amplia a sua visão de mundo, sua tolerância frente a dificuldades diante de situações inusitadas, além do conhecimento de outras sociedades, políticas, economias e costumes. Tudo isso é enriquecedor”, explica Helen Costa.

Além do amadurecimento pessoal o intercâmbio oferece uma riqueza curricular muito valorizada no mercado de trabalho. “A vivência em outro país, o convívio com outra cultura e um idioma fluente com certeza são capacidades que poucos tem a oportunidade de desenvolver e certamente é um diferencial no currículo, portanto, muito valorizadas por empresas na hora da decisão entre candidatos para uma vaga de trabalho”, informa Ludmila Teles.

Sobre a Experimento Intercâmbio Cultural

Completando 50 anos de experiência no Brasil e 82 anos no mundo, a Experimento é a maior rede especializada exclusivamente em intercâmbio cultural do País. Eleita por cinco anos consecutivos a melhor agência de intercâmbio da América Latina pelo Star Awards for International Education, é a única a alcançar o posto de Super Star, título vitalício em excelência. A rede possui mais de 30 lojas no território nacional, oferecendo solução completa em educação internacional, que incluem a oportunidade de estudar ou trabalhar no exterior, em mais de 30 países. Entre os produtos oferecidos estão High School, Cursos de Idiomas, Au Pair, Programas de Férias, estágios e trabalhos remunerados no exterior, Programas Universitários e Profissionalizantes, passagens aéreas internacionais, assistência viagem e muito mais.

Para mais informações: www.experimento.org.br

Faça seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.