Como levar dinheiro para o exterior? Tudo o que você precisa saber antes de embarcar na viagem internacional

Conheça as opções que vão de valores em espécie, cartões de crédito e pré-pagos mais recarga.

Como levar dinheiro para o exterior? Tudo o que você precisa saber antes de embarcar na viagem internacional
Como levar dinheiro para o exterior? Tudo o que você precisa saber antes de embarcar na viagem internacional

Após pesquisar, definir o destino do seu intercâmbio e comprar as passagens, é hora de decidir como levar dinheiro para a viagem. Apesar de parecer algo simples, é importante estar atento às possibilidades, conhecer o que permite a legislação e se preparar com antecedência. Assim, você evita surpresas desagradáveis ou mudanças de planos na última hora.

Com opções que vão de valores em espécie a cartões de crédito e pré-pagos + recarga, muita gente acaba ficando indecisa. Além disso, há regras específicas em alguns dos casos. Por isso, se você está planejando embarcar para o exterior, se liga neste post para saber mais sobre como levar dinheiro.

Esteja atento às regras sobre valores permitidos

Em trechos percorridos por avião, há um limite estabelecido pela Receita Federal de R$ 10.000 mil em espécie – ou esse valor convertido na moeda estrangeira que você vai levar. Isso significa que você está proibido de embarcar com uma quantia maior? Não, acalme-se!

A regra é clara: acima desse montante, é necessário declarar à Receita no aeroporto, o que também é válido para viagens de navio e cruzeiros. Essa é uma forma de controlar a evasão de divisas e fraudes no transporte internacional de valores, dando transparência, legalidade e segurança ao processo.  Mais detalhes aqui.

Avalie opções em dinheiro, cartão de crédito e pré-pago

Parece uma missão complexa, mas escolher entre dinheiro, cartão de crédito ou cartão pré-pago pode ser uma tarefa simples: você vai precisar checar a quantidade que pretende levar, as melhores taxas em cada modalidade, quanto irá pagar de IOF (Imposto sobre Operações Financeiras) e taxas cobradas pelas operadoras.

Com essas informações, fica mais fácil saber quanto você paga de “extra” na conversão da moeda. Quando for comprar, consulte os valores para a aquisição do dinheiro em espécie e no cartão pré-pago, assim, poderá comparar e saber o que mais vale a pena.

Considere levar seus valores em diferentes meios

Além de avaliar os quesitos referentes às taxas e impostos para a compra da moeda estrangeira, é sempre importante considerar a questão da segurança e limites estabelecidos pelos órgãos competentes. Imagina chegar ao hotel na praia exótica do Caribe com aquela mala cheia de dinheiros?

Com base nisso, a melhor opção é levar certa quantia em cada um dos meios disponíveis. Nunca aconselhamos a levar apenas de uma forma. Já pensou se acontece um imprevisto? Assim, você pode comprar artesanatos nas ruas e pagar em espécie ou jantar em um restaurante tradicional com pratos típicos do destino e passar no cartão, por exemplo.

LEIA TAMBÉM – Nova Zelândia: onze curiosidades inusitadas sobre este país cheio de aventuras e paisagens incríveis 

…mas não carregue muito dinheiro em espécie contigo

Pode até parecer mais cômodo ou mais barato levar o dinheiro já no papel, considerando que nem todo lugar vai aceitar cartão, correto? ERRADO. Hoje a praticidade dos cartões está praticamente por todos os lados. Mesmo assim, vale levar uma grana de leve, para aqueles casos específicos onde não for possível pagar com o dinheiro de plástico.

Vale lembrar que carregar muito dinheiro é bastante inseguro, ainda mais para quem vai ficar mais tempo no destino ou mudar de acomodação/hotel em viagens internas. Quem viaja de carro para países vizinhos também deve estar ligado nos limites citados acima. Os veículos, inclusive, podem ser parados nas fronteiras. Além disso, não é aconselhável transitar com valores altos no automóvel.

Quais são as vantagens e desvantagens sobre as formas de levar dinheiro ao exterior?

Quer conferir os benefícios e desafios que cada um desses tipos de moeda representa ao ser levado para o exterior? Confira a nossa publicação na íntegra e veja também mais uma dica extra sobre esse tema no Blog #GenteQueViaja.

Produção e Edição: Milson Veloso – Jornalista, mestre em Comunicação Social, especialista em Comunicação Digital e viajante. Colaboração de Emanoela de Souza, diretora Executiva da Globe Trotter Intercâmbio e Viagens.

Faça seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.