Isolamento Social: Boas práticas para ajudar parentes que estão no exterior

Em tempos de isolamento social e fechamento de fronteiras, saiba como você pode ajudar quem está recluso em outro país

Isolamento Social: Boas práticas para ajudar parentes que estão no exterior
Isolamento Social: Boas práticas para ajudar parentes que estão no exterior

Com o mundo em estado de alerta por conta da pandemia do novo coronavírus, muitos países optaram por fechar suas fronteiras e iniciar um período de isolamento social para evitar a propagação da doença.

Para quem estava em intercâmbio, de férias ou até mesmo trabalhando em outro país, a situação se agravou.

Com vôos cancelados, fronteiras fechadas e economia paralisada, os brasileiros que estão no exterior devem contar com suas famílias para se assegurar durante este período.

No entanto, é preciso manter a calma e entender a melhor maneira de ajudá-los sem colocar a sua saúde em risco. Confira em quais situações você pode atuar e o que fazer em cada caso.

Filhos em intercâmbio no exterior

A primeira e mais comum situação é para quem possui filhos estudando em outro país. O recomendado é que, neste momento, ambos se mantenham em isolamento social e evitem aglomerações de pessoas.

Isso significa que, mesmo que a escola ou universidade tenha entrado de recesso, o mais indicado a se fazer é permanecer no país até que as coisas se acalmem.

Enviar dinheiro para que ele se mantenha é o procedimento recomendado nesses casos. Através de um serviço chamado remessa expressa, você poderá mandar recursos de forma online, sem precisar sair de casa para isso.

Neste serviço, é preciso informar a natureza do envio. Isso porque essa informação será necessária na declaração do imposto de renda e pode resultar em uma multa caso a informação seja falsa.

Para isso, você deverá colocar “manutenção de estudante” no campo solicitado, que vale para enviar dinheiro para quem está estudando no exterior em uma universidade, curso de idiomas, cursando a high school ou qualquer outro curso.

Manutenção para quem reside em outro país

Já para quem possui parentes que moram no exterior, os procedimentos são basicamente os mesmos. O ideal é que as regras para isolamento social impostas por cada país sejam seguidas rigorosamente para garantir a saúde.

O envio de dinheiro nestes casos deve ser realizado através do serviço de remessa expressa, mudando apenas a natureza para “manutenção de residente”.

Esse termo vai indicar que você está realizando uma transferência internacional para alguém que reside no exterior – que pode ser parente ou não – para custear despesas cotidianas como alimentação, aluguel, etc.

Vale lembrar que a disponibilidade do dinheiro vai depender de uma série de fatores como: confirmação do pagamento, horário da transação e fuso horário do país de destino.

Parentes em férias

Quem estava de férias em outro país e foi pego de surpresa pela pandemia, encontrou uma situação caótica em alguns lugares do mundo.

Na maioria dos casos, as empresas aéreas remarcaram seus vôos para outras datas e realocaram os passageiros em hotéis próximos aos aeroportos.

No entanto, muitas pessoas ficaram desamparadas, sem conseguir retornar para o Brasil e sem ter onde ficar.

Para quem se encontra nessa situação, o jeito é recorrer a parentes e amigos que possam enviar recursos para se manter até a crise passar.

Além das opções citadas anteriormente, há ainda a possibilidade de mandar dinheiro ao exterior por um serviço conhecido como remessa expressa cash. Nessa modalidade, os valores são enviados sem precisar que o destinatário tenha conta no exterior.

Cuidados com quem acabou de chegar de viagem

Para quem conseguiu retornar ao Brasil, a recomendação é de entrar imediatamente em isolamento e ficar atento aos principais sinais da doença que são:

  • Dor de garganta

  • Tosse

  • Febre alta

  • Dificuldade para respirar (em casos mais graves)

Mais detalhes e procedimentos sobre os cuidados você pode encontrar aqui no site do GOV.BR / Coronavírus: o que você precisa saber e como prevenir o contágio

O isolamento nesses casos é necessário para evitar a rápida propagação do vírus e proteger as pessoas que são mais vulneráveis a doença.

Para quem ainda não conseguiu ou não pôde voltar para casa, além de enviar dinheiro para o exterior, é possível tranquilizá-los matando a saudade durante o período.

As videochamadas, ligações por voz e outros recursos permitidos pelo avanço da tecnologia são os principais meios para nos conectar em tempos que abraços, beijos e troca de carinho estão temporariamente suspensos.

Vale lembrar que tão importante quanto enviar recursos financeiros para quem está temporariamente em outro país, mandar demonstrações de afeto, preocupação e tantos outros sentimentos bons, é um dos melhores remédios para superar o quanto antes esse período difícil.

    Assine nossa newsletter!

    Assine nossa newsletter e junte-se à outros 1.548 assinantes. Leia sobre a nossa Politica de Privacidade.