Quero estudar fora. Por onde começar?

Os primeiros passos pra você estudar em outro país.

Aviso logo: antecedência, organização e paciência são palavras de ordem. Garanto. Pra estudar em outro país tem aquela história de documentação, vistos, prazos, grana. E tudo isso pode levar o maior tempão.

Então, quando bater aquela vontade de estudar em outro país, não perca tempo. Corra já pro computador. Nada de deixar pra amanhã o intercâmbio que você pode fazer hoje!

Quero estudar fora. Por onde começar?
Quero estudar fora. Por onde começar?

 

Passo 1: Pra onde ir x O que estudar

Sobre o que você está mais certo: Sobre o país pra onde quer ir ou sobre o que você quer estudar?

É aí que mora o X da questão e é isto que vai marcar o início de todo processo de estudar fora. Quer estudar um idioma? A cidade importa pouco ou muito? Ou quer mesmo é ir para uma Universidade específica? Por favor, tenha isso bem claro ao começar suas pesquisas na Internet. Porque é aqui onde tudo começa.

Das três vezes que decidi estudar em outro país, eu tinha muito claro para onde queria ir. Não só o país, mas as cidades também. San Diego, Madri, Londres. Com isso em mente, foi só encontrar um curso naquelas cidades que se encaixasse no na minha área de estudo – TV e Cinema.

Tendo bem claro o curso que quer estudar, suas pesquisas vão levar você para alguma(s) cidade(s) que será sua futura casa. Ou, tendo bem claro onde você quer morar, você vai acabar no curso que vai mudar sua vida. É este o 1º passo.

Passo 2: Horas e horas na internet

Google, Facebook, blogs, fóruns. Prepare-se para passar horas na frente do computador procurando cursos, Universidades, datas, matrículas, documentação. É assim mesmo.

No começo parece informação demais, mas relaxa. É só a 1º impressão. Pesquise muito e leia tudo o que lhe parecer interessante, aos poucos esse monte de informação vai fazendo sentido.

Cada país tem seu próprio sistema educacional, então procure entender o do país para onde quer ir. O Wikipédia é uma mão na roda pra explicar como a educação funciona em cada lugar.

No começo alguns termos (os tipos de diploma, os créditos educacionais) vão ser novos, normal. Siga lendo que mais lá na frente você já vai estar craque em tudo isso.

Passo 3: Documentação

Lembra o que falei lá no começo sobre antecedência, organização e paciência? Chegou a hora de pôr tudo isso em prática.

Isso porque depois que você decidiu as Universidades, as cidades, os cursos, vai começar a parte burocrática: saber quais documentos são necessários, o que precisa ser traduzido, quais as formas de pagamento, como entrar em contato com a Universidade, qual o tipo de visto necessário. E quanto mais tempo você tiver para fazer tudo isso, ponto pra você.

Alguns países, como os EUA, exigem um certificado de que você fala o idioma. Então tem que ir atrás dele. E repito, nada de se assustar com a lista de documentos necessários. Escreva tudo num papel, bem direitinho. Organize-se. Vá cuidando de um por um. Não é fácil, mas se fosse, todo mundo faria. Pense que essa antecedência, essa paciência e essa organização são as diferenças entre você e quem vai passar o próximo ano aqui mesmo no Brasil.

Passo 4: Falar com as Universidades

É super comum que as Universidades estrangeiras tenham um departamento de alunos estrangeiros. Use e abuse deles. Enquanto estiver organizando sua documentação, escreva um e-mail pra eles. Se apresente, diga que quer fazer o curso tal, que já deu uma olhada na web e já sabe mais ou menos do processo todo. Pergunte se há algo mais que você precisa saber, se você pode contar com eles caso tenha alguma dúvida.

É capaz que, uma vez dentro da Universidade, você acabe encontrando várias vezes com a mesma pessoa que respondeu seus e-mails. Isso aconteceu comigo. E vai fazer toda a diferença.

E depois? O que acontece depois do passo 4? Isto já é assunto pra próxima coluna. Quinta-feira que vem estou de volta. Te espero.

 

Créditos da imagem: bohoinsummer.tumblr.com

Faça seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.