Entenda porque alguns vistos para Portugal estão caindo em exigências dos órgãos consulares

* Cristina Maya

Mudar de país pode ser uma decisão difícil, às vezes muito complicada e burocrática, mas com a pandemia esses problemas se intensificaram ainda mais. As exigências ao solicitar um visto para residir em Portugal estão confundindo os brasileiros que pretendem fazer as malas de vez para a Europa.

Antes da pandemia, inúmeros brasileiros solicitaram o Visto D7 para que pudessem morar livremente em Portugal. Mas durante esses meses, as avaliações e aprovações de documentos ficaram paradas por conta da situação complicada em que o mundo está devido ao coronavírus.

Assim que as avaliações retornaram, a VFS Global, empresa responsável por fazer a captação de documentos para esses pedidos, começou a exigir a apresentação de uma Conta Corrente em Portugal, além de algum valor substancial depositado dentro dessa conta.

Como vários dos pedidos datavam de meses atrás, essa nova exigência pegou vários brasileiros de surpresa. Para gerar ainda mais ansiedade, foi determinado que o prazo médio para a criação da conta e do depósito do montante exigido fosse efetuado em até 10 dias após o início do processamento do visto.

Isso fez com que os brasileiros que haviam feito a solicitação corressem contra o tempo para se adequar às novas exigências e alguns preferiram desistir da tentativa por enquanto, já que o valor do montante exigido não seria arrecadado no tempo limite imposto pela empresa.

Com o fim do prazo dado para a regularização dessas pendências, o pedido de visto acaba constando como indeferido, fazendo com que a solicitação seja invalidada e o processo deva ser feito desde o início novamente. O ideal, nessas situações, é procurar por todas as informações necessárias para adquirir o Visto de maneira legal, até mesmo entrando em contato com a VSF Global, que pode esclarecer os procedimentos necessários de forma completa.

Sobre Cristina Maya

Cristina Maya é YouTuber e criadora do Vamu Ver! marca nacional registrada em Portugal pelo INPI, Instituto Nacional da Propriedade Industrial sob o nº 616476. É formada em Letras, lecionou língua inglesa no Brasil. Estudou e morou nos EUA. Atualmente, promove postagens sobre dicas de viagens, além de tutoriais voltados para Portugal, país onde reside.

Ela e seu companheiro, que possui dupla cidadania, chegaram a Portugal em fevereiro de 2018 com malas, cinco animais com visto de residência D7 e com muita esperança de dias melhores em novo país. Por meio das mídias sociais do Vamu Ver! Cristina fornece informações sobre dicas de viagens, gastronomia e compartilha o dia a dia em Portugal e a experiências de uma brasileira no exterior. Devido a parcerias com agencias e hotéis, ela consegue oferecer descontos para a sua viagem e estada, além de vídeos com passo a passo de quem quer visitar ou morar legalmente, em Portugal.  Para mais informações, acesse https://vamuver.com/

Para mais informações, acesse: