Como faço para receber um intercambista em minha casa?

Sempre teve vontade de fazer um intercâmbio, mas anda meio sem grana? Que tal receber um intercambista em sua casa então?

Como faço para receber um intercambista em minha casa?
Como faço para receber um intercambista em minha casa?

Sempre teve vontade de fazer um intercâmbio, mas anda meio sem grana? Que tal receber um intercambista em sua casa então? Achou uma ideia maluca? Acredite, ela pode ser mais interessante do que pensa!

Quando abrimos as portas da nossa casa para receber um intercambista, é a oportunidade de nos internacionalizarmos sem sair do nosso país e de, em alguns casos, ainda levantarmos uma graninha com isso. Mas, o foco não é lucro financeiro aqui. Os benefícios para nós e nossa família vão muito além de dinheiro. Olha só:

  • É a oportunidade de aprender e/ou aprimorar outro idioma;
  • Ter contato com culturas diferentes;
  • Trocar conhecimento e informações;
  • Fazer amizades com pessoas do mundo inteirinho e, claro, aumentar nosso networking!

Por exemplo, em 2009, a amiga da minha tia recebeu em sua casa uma norte-americana de 17 anos. Como as famílias eram muito próximas, minha prima acabou se tornando muito amiga da menina e hoje vive viajando para a casa dela nos Estados Unidos. Bacana, né?! Se você receber pessoas de cada canto do mundo e amizades surgirem, poderá fazer viagens a low cost pelo mundo todinho, pelo menos no quesito hospedagem! 😉

Andei pesquisando sobre como fazer para receber um intercambista em casa e encontrei a ABIPE, Associação Brasileira de Intercâmbio Profissional e Estudantil, que ajuda nesse processo todo. Quem tiver interesse de participar do programa “Casa de Família”, que tem justamente esse objetivo, é só entrar no site e preencher o formulário de alojamento. Lá também tem o passo a passo e perguntas mais frequentes tudo certinho.

Achei o trabalho dessa associação muito bacana, pois assim é uma forma de nos assegurarmos que não é qualquer pessoa que entrará em nossa casa, já que rola uma seleção rigorosa dos candidatos. Aliás, normalmente os jovens que procuram a ABIPE são de diversos países, na sua maioria de 20 a 28 anos, que falam pelo menos dois idiomas, interessados em viver de verdade o “jeito brasileiro” e que não querem saber de hotéis, nem tampouco, procuram luxo, contudo, buscam por segurança e acolhimento.

Quem pode participar do programa?

Para participar, a pessoa basta estar disposta a receber um estudante sedento por aprendizado e troca cultural, oferecer um ambiente seguro e com boas condições de higiene e estar em bairros e cidades que ofereçam facilidade de transporte. Ah, e o responsável pela moradia tem que ter mais de 21 anos.

Apesar de não permitir que haja escolha do candidato pela família ou da família pelo candidato, a ABIPE tenta aproximar os perfis, de modo a tentar evitar problemas.

Por quanto tempo o intercambista ficará na casa da família?

O responsável pela residência é quem decide por quanto tempo está disposto a recebê-lo. Contudo, a associação recomenda o mínimo de dois meses – de modo que seja possível rolar uma integração cultural – e o máximo de um ano.

Que tipo de acomodação deve-se oferecer ao intercambista?

O responsável pela residência também decide e informa sob quais condições vai receber o estrangeiro. A pessoa pode querer oferecer uma suíte, um quarto compartilhado, ou mesmo um quarto sem banheiro. Também é o “host” que decide se oferecerá café da manhã, jantar/lanche à noite ou só meia pensão.

Também poderá escolher se quer oferecer a estadia gratuitamente ou se vai cobrar um valor mensal (que cubra as despesas básicas, como água, luz, gás etc.). O ideal é que essa ajuda de custo, quando cobrada, seja feita só se o estudante estiver realizando alguma atividade remunerada.

É possível escolher nacionalidades?

Não, mas é possível apontar preferências por idiomas falados pelos estudantes, se a ideia for melhorar o aprendizado/fluência em uma determinada língua.  Mas, independentemente do idioma que ele fale, a pessoa que o receber vai aprender muito, com certeza!

É possível escolher o sexo do estudante?

Sim. Inclusive, para famílias com crianças ou adolescente, é recomendado optar por intercambistas do mesmo sexo.

E se rolar desentendimento com o estudante?

O ideal é sempre tentar conversar primeiro. Não deu certo? A ABIPE pede o prazo de mais ou menos três semanas para encontrar uma nova moradia para o intercambista.

Bem, não sei você, mas eu tô morrendo de vontade de receber um intercambista na minha casa! Pra quem também se interessou, aqui vai o serviço:

ABIPE – Associação Brasileira de Intercâmbio Profissional e Estudantil
http://www.abipe.org.br/
+55 (11) 3262-4012
Av. Paulista, 726, sala 601 – CEP 01310-940 – São Paulo – SP

Faça seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.