No dia 11 de novembro rolou a primeira live do Canal do Intercâmbio lá no nosso perfil do Instagram. Em um momento super divertido e informativo, conversamos com Vivi Lac, CEO da Beeducation e Associada da Belta, sobre as principais atualizações dos destinos de intercâmbio

Se você perdeu a live, não se preocupe, faremos um breve resumo neste post e deixaremos o vídeo aqui embaixo para você correr lá e assistir. Quer um conselho? Assista! Tem muita coisa legal que pode ajudar os futuros intercambistas a viverem o sonho de estudar no exterior no pós-pandemia!

Principais atualizações sobre os destinos de intercâmbio

No começo da nossa live, Vivi Lac nos trouxe um pouco sobre o cenário atual dos destinos de intercâmbio. 

Embora grande parte das fronteiras já estejam abertas, cada país possui as suas restrições sanitárias, cujas regras variam desde a necessidade ou não de quarentena, até a apresentação de documentações específicas (como testes de PCR negativos e comprovante internacional de vacinação).

Para a CEO, esse é um momento delicado e incerto, isso porque as especificações de cada nação em relação aos viajantes internacionais ainda são bastante instáveis e, a qualquer momento, tudo pode mudar. 

Dentre os principais destinos de intercâmbio que estão abertos e foram citados na nossa live, podemos destacar: Estados Unidos, Canadá, África do Sul, Inglaterra, Irlanda, Alemanha, Espanha, França, Portugal, Escócia, Itália, Dubai e Argentina.

Em relação aos destinos que continuam com as suas fronteiras fechadas para viajantes e estudantes internacionais, temos: Austrália, Nova Zelândia e Malta. Porém, no caso da Austrália e Nova Zelândia, já existem previsões de abertura entre dezembro de 2021 e o primeiro semestre de 2022.

Se você deseja saber a respeito das regras de cada país, a Beeducation dispõe de uma página com a relação de todos esses destinos, assim como as atualizações diárias de acordo com as decisões anunciadas pelos consulados. Clique aqui e confira

E a vacina? Devo me preocupar?

Uma das dúvidas que mais aparecem aqui no Canal e, sem dúvidas, para as próprias agências é em relação à vacina. Será que a marca da vacina, realmente, pode ser um problema para os futuros intercambistas? A Vivi também falou um pouco sobre isso durante a live.

É difícil falar como de fato será, mas eu acredito que isso vai deixar de ser uma questão muito em breve, quando os países se sentirem mais seguros”, destaca Vivi.

O Brasil é um dos principais destinos de intercâmbio, boa parte da nossa população que viaja tomou a vacina que hoje em dia não é aceita [CoronaVac]. Porém, é importante entender que os países ainda estão vacinando a sua população e ainda estamos na pandemia”, afirma.

Vivi também nos exemplifica outras situações em que são solicitadas comprovantes de vacinação, como é o caso de Malta, África do Sul e Austrália que exigem dos seus viajantes o certificado de vacina contra a febre amarela. No entanto, a marca da vacina tomada não é e nunca foi um problema. 

E, aqui, entra uma curiosidade interessante: no Brasil, a gente toma duas marcas de vacina: uma produzida pela Fiocruz e outra pela Sanofi Pasteur. Agora você, querido viajante que já tomou essas belezinhas, aposto que tu não faz ideia qual imunizante corre no seu sistema, estou errada? 

Diante disso, a Vivi acredita que as especificações de vacinas serão momentâneas, principalmente porque países como Estados Unidos e Inglaterra, grandes potências mundiais e destinos populosos de turismo e intercâmbio, já aceitam todas as vacinas aplicadas no Brasil (sim, inclusive a nossa queridinha CoronaVac).

Vale destacar a importância da vacinação para a saúde pública. O momento ainda é delicado e a vacina, acima de qualquer viagem ao exterior, ajuda a salvar vidas e a garantir um futuro melhor para todos. 

O que esperar do futuro das viagens de intercâmbios e turismo?

Finalmente, em alguns momentos da nossa live, conversamos sobre o futuro das viagens de turismo e intercâmbio. De acordo com a Vivi, o mercado já está aquecendo e se espera que, com o controle da pandemia, os brasileiros tenham mais segurança e oportunidades para realizar o sonho de estudar no exterior.

No entanto, Vivi nos alerta em relação às informações. De acordo com a CEO, a internet é cheia de dados e fake news, por isso, é importante que os estudantes saibam onde buscar informações seguras e atualizadas para garantir o melhor planejamento da sua viagem.

Vivi também salienta que, aqueles que desejam viajar para o exterior, busque auxílio de agências que tenham o selo Belta. O que significa? Consistem em agências de intercâmbio que cumprem os requisitos de qualidade, suporte e segurança exigidos pela associação, promovendo ao viajante total assistência antes, durante e após o intercâmbio.

Se você deseja saber mais sobre a Beeducation, uma agência com mais de 20 anos de experiência no setor e associada à Belta, acesse aqui. Também confira aqui todas as empresas que fazem parte da associação e já comece o seu planejamento para 2022.

Jornalista e profissional de Marketing Digital por formação, curiosa e apaixonada por passeios e viagens por opção, Dayanne tem no seu coração o desejo de conhecer cada pedacinho desse mundo.