Da Série Au Pair: Primeiro contato com as Famílias

Dicas e experiências de Au Pair no primeiro contato, saiba como tirar as principais dúvidas antes de fechar a com a família

Da Série Au Pair: Primeiro contato com as Famílias
Da Série Au Pair: Primeiro contato com as Famílias

Se você vai ser Au Pair por alguma agência de intercâmbio, provavelmente o contato como a família será intermediado por alguma ferramenta deles. A agência disponibiliza para as famílias um dossiê sobre os au pairs e, caso se interessem, entram em contato com o candidato por e-mail.

Esse primeiro contato por e-mail geralmente é para marcar uma conversa por telefone, que é parte obrigatória do processo. Muitas vezes, as agências possuem em suas intranets os perfis das famílias, para que as au pairs também possam fazer suas avaliações e decidirem se combinam ou não com seu perfil. Claro que na conversa por telefone e nas trocas de e-mail é que você terá oportunidade de conhecer melhora família, descobrir um pouco dos seus costumes, da rotina, do local em que vivem, das suas expectativas, enfim, do seu perfil.

Para iniciar o contato, opte por utilizar perguntas simples, como “nome dos pais e das crianças, profissão, idades e horário da escola.” Esse tipo de questionamento ajuda a quebrar o gelo e, como não são tão complexas, você não ficará tão nervosa/o.

Os primeiros e-mails tendem a ser simples mesmo. Normalmente te perguntam sobre o que gosta de fazer no tempo livre, o que gosta de comer, como é sua vida aqui, se gosta de animais de estimação e porque gostaria de ser uma Au Pair.

ATENÇÃO!

Lembre-se que é uma mãe e/ou um pai que está fazendo a entrevista. Por isso, responda como babá, ou seja, uma profissional. Dessa forma, suas atividades de tempo livre não podem ser apenas ficar na frente da TV ou namorando. Claro que você pode mencioná-las. Mas fale também de atividades como ir a parques, brincar, sair com amigos, cinema de vez em quando, ficar com as crianças que você já cuidou e/ou cuida, cozinhar, museus, bibliotecas (por mais que você nunca tenha pisado em uma). Resumindo, demonstre ser uma pessoa interessante, com a qual eles gostariam que seus filhos convivessem.

#DICA: Diga sempre que você ADORA crianças, conte algumas experiências legais que você teve com elas. Comente como você SE DIVERTE com elas.

Primeiro Telefonema

Após as trocas de e-mail, se a família continua interessada em você, a entrevista evolui para uma conversa por telefone. Muitos candidatos normalmente entram em pânico ao se aproximar essa etapa. Mas não precisa. Uma dica legal é anotar suas principais perguntas, para não correr o risco de esquecer, caso bata o nervosismo.

Para facilitar, pergunte coisas simples, referentes às crianças e à vida da família. Por exemplo, o que gostam de fazer, de comer, onde gostam de ir. Também vale questionar sobre o local onde moram, o que tem de legal para fazer por lá.

É interessante também perguntar sobre a profissão dos pais e a rotina deles. Pergunte sobre horários e dias de trabalho e de folga e veja se são do seu gosto.

IMPORTANTE: Não aceite nada que você não concorde. Faça exigências, negocie, ou você não será feliz. Claro, com moderação. Talvez você não tenha um celular, mas tenha um carro que seja só seu. Ou talvez você tenha que dividir o carro com os pais, mas tenha todos os fins de semana livres.

Enfim, seja flexível. Não espere uma família perfeita porque elas não existem. Bem como não existe au pair perfeito.

Perguntas sobre como será sua vida, tempo livre, curfew, regalias, telefone, internet, televisão etc., se não forem respondidas ESPONTANEAMENTE pela família no primeiro contato, deixe para o segundo ou terceiro contato.

DICA:

Espere a família ter GENUÍNO INTERESSE por você, até mesmo dizer que quer fechar com você, para então fazer as perguntas sobre regalias. Aí é o momento mais adequado para falar algo como: “olha, nunca estive tão perto de fechar com alguma família e nunca estive tão animada e interessada. Para oficializar, gostaria de saber as seguintes coisas: (aí você pergunta de TV, carro, curfew, amigos, tempo livre, etc.).

Você PODE terminar dizendo algo como: “não há resposta certa ou errada, é somente para eu saber como será minha vida no dia-a-dia.”

Se as respostas não te agradarem, você ainda terá tempo de não fechar com a família, mas pelo menos você não vai ter jogado fora uma família boa por detalhes pequenos (quer dizer, sem saber os outros aspectos primeiro) e não vai queimar tanto o seu filme.

Se a família decidir no primeiro telefonema que quer fechar com você, aí sim: NÃO ESPERE E NÃO DESLIGUE SEM TIRAR TODAS AS SUAS DÚVIDAS.

Consulte nossa lista de perguntas.

*Informações publicadas oficialmente por Raquel Amarins. Republicação e atualização autorizadas.

Faça seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.