O sonho de muitos intercambistas é impactar o mundo positivamente, seja com a bagagem adquirida nas viagens ou atuando ativamente na comunidade local. Diante disso, o intercâmbio voluntário é uma ótima opção para tornar a experiência da viagem inesquecível e, ao mesmo tempo, ajudar o mundo de alguma forma.

Esse tipo de intercâmbio é bastante distinto dos programas tradicionais e exige do viajante uma mente ainda mais aberta, preparada para se inserir na cultura local de corpo e alma e, principalmente, aprender novas lições de vida. 

Na prática, o intercâmbio voluntário é aquele que te fará ver o mundo de uma maneira muito mais empática e respeitosa. Veja abaixo o que é e como funciona esse tipo de viagem, assim como algumas dicas de como você pode realizá-la.

O que é o intercâmbio voluntário?

De modo geral, o intercâmbio voluntário é caracterizado pelo deslocamento de pessoas entre diferentes países com o objetivo de atuar com atividades de impacto social.

Existem uma infinidade de projetos em que o intercambista pode se envolver, desde cuidados e preservação de animais em riscos de extinção, até ações humanitárias, como aulas de idiomas para refugiados ou atendimentos médicos para crianças ou pessoas em situação de vulnerabilidade. 

Além disso, existe um programa semelhante que também é chamado de intercâmbio voluntário pelos viajantes, que se trata do trabalho voluntário. Neste caso, em específico, o intercambista troca horas de atuação em determinada atividade por hospedagem, alimentação e, às vezes, uma bonificação em dinheiro. 

No entanto, aqui é válido deixar claro que o Trabalho Voluntário no intercâmbio nem sempre está ligado com iniciativas de impacto social. 

Como o programa de intercâmbio voluntário funciona?

Geralmente, os intercâmbios voluntários são divididos por projetos, em que alguma instituição conecta pessoas interessadas nesse tipo de viagens às ONGs que estão recebendo intercambistas.

Como citado, os viajantes podem atuar em diversos programas; a duração desses projetos pode ficar sob escolha dos próprios intercambistas ou, às vezes, depende também da disponibilidade ou especificação de cada viagem.

Neste aspecto, normalmente, os intercâmbios voluntários incluem acomodação, alimentação (uma, duas ou todas as refeições do dia), transporte até a instituição em que o estudante está se voluntariando, certificado, transfer do aeroporto, suporte e orientação no destino. 

Agora, quando falamos sobre o Trabalho Voluntário, esse cenário pode mudar totalmente. No geral, os viajantes atuam em hostels, hotéis, pousadas, instituições, retiros, fazendas e outros espaços semelhantes com atividades relacionadas à comunicação (criação de conteúdo e fotografia), atendimento, limpeza e conservação, reformas, cuidado com a natureza e trabalhos comunitários.

No entanto, toda a organização da viagem, grande parte das refeições e transitação pela cidade de destino ficam a cargo do próprio viajante.

Quem pode fazer o intercâmbio voluntário?

Na prática, o intercâmbio voluntário pode ser feito por qualquer pessoa, independentemente da idade ou gênero. Porém, as regras podem mudar de acordo com cada projeto e instituição.

As exigências do intercâmbio também variam conforme as necessidades do programa. Por exemplo, alguns projetos podem exigir conhecimentos básicos, intermediários ou avançados em determinados idiomas, assim como o domínio de habilidades específicas. 

Por outro lado, é preciso seguir as regras de cada país quando falamos sobre intercâmbio voluntário. Em grande parte dos destinos, essas viagens são realizadas com vistos de turistas (que permitem aos brasileiros ficar de 30 dias a 1 ano do destino, por exemplo) ou com vistos específicos de trabalho voluntário (como o visto Tier 5, do Reino Unido).

Nesta questão, o ideal é contar com o auxílio de alguma instituição, que pode te orientar com mais precisão, levando em consideração o seu perfil, as exigências do país e as necessidades da própria organização que vai te receber.

Já o trabalho voluntário, ele também pode ser realizado por qualquer pessoa e, geralmente, os viajantes se deslocam por meio do visto de turista.  

Quais são as principais agências e empresas que fazem o intercâmbio voluntário?

Existem algumas agências e instituições que fazem a intermediação do estudante interessado em voluntariar e as organizações não governamentais que precisam dessa mão de obra. Algumas delas são:

  • AIESEC: é uma das instituições mais conhecidas e possui programas espalhados pelo mundo inteiro. Para encontrar o melhor projeto, o intercambista precisa entrar em contato com a AIESEC no Brasil e um voluntário da instituição vai guiar o viajante para as opções existentes, de acordo com a atividade e destino que o intercambista deseja. Geralmente, os custos de um intercâmbio variam entre R$ 1.600,00 e R$ 2.000,00 e são totalmente revertidos à instituição. Por sua vez, pessoas de 18 e 30 anos podem participar dos projetos e, além do Intercâmbio Voluntário, os viajantes podem participar do programa de Talento Global, Professor Global e Profissional Virtual, voltados ao desenvolvimento e capacitação. Para saber mais, acesse.
  • Exchange do Bem: é bem semelhante à AIESEC, porém, os custos do intercâmbio variam de acordo com o país, tipo de projeto e duração. Além disso, os valores aparecem em dólar ou euro, cuja conversão é feita conforme a cotação da época. Em grande parte dos projetos estão inclusos acomodação, certificado, orientação, transfer, kit viagem e curso online de Formação de Voluntário. As exigências também podem mudar de acordo com cada programa. Para saber mais, acesse.
  • CI Intercâmbio – Trabalhos sociais e ambientais: existe um programa de intercâmbio voluntário da própria CI que atende 7 países, são eles: Nepal, África do Sul, Botsuana, Índia, Namíbia, Sri Lanka e Vietnã. Os interessados podem se envolver em projetos sociais, ambientais e de saúde, em que cada programa possui especificações e exigências distintas. Para mais informações, acesse
  • VV – Volunteer Vacations: é uma instituição especializada em férias voluntárias, em que disponibiliza programas em mais de 20 países, como Quênia, Costa Rica, Jamaica e Tanzânia. Os valores e as especificações também variam de acordo com o destino. Para saber mais, acesse.
  • Worldpackers: outra instituição muito conhecida quando falamos de trabalho voluntário é o Worldpackers. Na prática, consiste em uma plataforma que conecta anfitriões que estão procurando por mão de obra voluntária e pessoas interessadas em trocar trabalho por acomodação. Na própria plataforma é possível selecionar o que você deseja fazer ou onde quer atuar, seja com atividades cotidianas ou de impacto social. Apenas é possível aplicar para as vagas quando a pessoa se torna membro do Worldpackers, em que os planos anuais variam de US$49,00 a US$99,00. Acesse e saiba mais.

Quais são os principais países em que é possível realizar o intercâmbio voluntário?

De modo geral, é possível fazer intercâmbio voluntário em qualquer parte do mundo. No Worldpackers, por exemplo, você encontra programas na Europa, América do Norte e Oceania. A AIESEC também possui diversos projetos em países como Itália, Turquia, Portugal, Egito e outros destinos diferentes.

No entanto, grande parte dos projetos são focados em países mais vulneráveis, como alguns da América Latina, continente Africano e sudeste Asiático, em que a demanda por ajuda é muito maior. 

Quer um conselho? Independentemente de qual seja o destino e o projeto que você escolher, vá com o coração aberto. Afinal, pequenas ações podem sim mudar o futuro de alguém e, em grande escala, fazer do mundo um lugar melhor. 

Jornalista e profissional de Marketing Digital por formação, curiosa e apaixonada por passeios e viagens por opção, Dayanne tem no seu coração o desejo de conhecer cada pedacinho desse mundo.