Dicas de boa convivência com a host family no intercâmbio

Então, para ajudar aqueles intercambistas que vão ficar em casa de família, separei algumas dicas.

Dicas de boa convivência com a host family no intercâmbio
Dicas de boa convivência com a host family no intercâmbio

Seja para fazer um intercâmbio de longa duração, como programa de au pair e high school por exemplo, ou mesmo um curto, como aqueles de um mês, é importante manter um bom relacionamento com os moradores da casa, sobretudo se você for ficar em casa de família (caso obrigatório do au pair e high school). Eu tive a oportunidade de morar com duas host families [bem diferentes uma da outra] nos EUA e posso dizer que não foi um dos processos mais difíceis do mundo (porque eu cedi bastante) mas também não foi nada do outro mundo. É questão de se adaptar a novos costumes e regras. Eu sou uma pessoa que não tenho problema em seguir regras – e até me preocupo com isso. Mas se você faz o estilo ninguém-manda-em-mim-e-ponto-final, já te adianto que casa de família não é o tipo de moradia em intercâmbio ideal para você. Talvez um dormitório na faculdade ou república. Depende do seu programa, obviamente.

1. Converse, conheça e respeite a família anfitriã

Mesmo para os programas de intercâmbio de curta duração é possível entrar em contato com a Host Family estando ainda no Brasil. A tecnologia nos ajuda e muito nesse ponto. Pode ser por meio de e-mail, Skype ou mesmo redes sociais. No caso do programa de au pair, eu tive que falar com a família por telefone também. Só troca de e-mail e conversas pelo MSN (me senti velha agora!) não adiantavam.

Dica: nessas conversas, procure saber o máximo como é o dia a dia da família, quais são os costumes, o que eles gostam, o que eles não aceitam, enfim, tudo o que puder extrair deles e também informar sobre você para que não haja surpresas desagradáveis para nenhum dos lados. Por exemplo, a primeira família com quem eu morei durante o intercâmbio era judaica, logo eu não podia comer nada de porco dentro de casa – e minha host mom quase teve um ataque quando eu expliquei o que tinha na feijoada (que eu esqueci completamente e trouxe da casa de uns amigos e deixei na nossa geladeira).

Durante o intercâmbio, procure ser bem aberto às conversas e, principalmente, siga as regras da casa. Lembre-se, por mais que a família se esforce para que você se sinta e casa, você está na casa deles, logo, você tem que se ajustar à rotina deles. Então, para evitar problemas, conversem sobre o horário de voltar para casa (o famoso “curfew”), quais são suas tarefas em casa, qual o horário das refeições, as regras de banho e uso da internet. Ah, e mesmo que você não tenha que fazer alguma coisa na casa, é de muito bom tom sempre ajudar. Ninguém gosta de gente folgada em casa, não é mesmo?!

2. Seja organizado

Novamente, ninguém gosta e ninguém merece hóspede folgado. Você não está em um hotel (e mesmo que estivesse), por isso, mantenha tudo em ordem. Usou o banheiro, organize-o. Nada de cabelos ou pelos no ralo. Eca! Usou a cozinha, arrume-a. Lave sua louça. Lave sua roupa. Arrume seu quarto. Não há ninguém para fazer isso por você lá.

3. Seja simpático

Seja simpático sempre. Você só tem a ganhar. Se você fez o primeiro passo certinho e falou com a família ainda no Brasil, coletou informações suficientes para ter uma noção de que tipo de presente seria legal levar para eles. Uma lembrancinha com a cara do Brasil. Se tiver crianças na casa, busque por brinquedos educativos ou mesmo aqueles antigos, da nossa cultura, como peão. Camisa da Seleção Brasileira costuma agradar pequenos e grandões. 😉 Ah, e durante o programa é bom manter um bom relacionamento com a família. Novamente, isso só lhe favorecerá, pois terá a oportunidade de praticar ainda mais o idioma. Experimente fazer brigadeiro para eles, por exemplo. É uma boa maneira de criar um ótimo vínculo de amizade. 😉

4. Socialize

Nada de ficar trancado no seu quarto ou imerso no mundo virtual. Interaja com a família. Participe de momentos com eles, seja refeições, seja momentos de ver tv, brincadeiras, passeios, enfim, faça parte da família. Você verá como ganhará ainda mais fluência no novo idioma, sem dizer que a experiência na nova cultura será muito mais intensa. Afinal, você não gastou uma bela grana para ficar isolado, certo?

5. Não tenha medo de errar

Fale, mesmo que seja errado. É assim que se aprende. E uma dica bacana é pedir para a família lhe corrigir sempre que você cometer algum erro. 😉

Espero que essas dicas lhe ajudem e que você aproveite e muito seu intercâmbio. Essa é uma oportunidade maravilhosa!

Beijos e até a próxima!

Faça seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.