No intercâmbio, onde vou morar?

Você pode optar em morar com uma família, no campus universitário, em residência estudantil, apartamento estudantil ou até mesmo em hotel ou albergue.

No intercâmbio, onde vou morar?
No intercâmbio, onde vou morar?

Essa é uma dúvida que ronda a cabeça de muita gente que decide se jogar no intercâmbio. Contudo, a resposta vai depender do tipo de intercâmbio que você escolher. Você pode optar em morar com uma família, no campus universitário, em residência estudantil, apartamento estudantil ou até mesmo em hotel ou albergue. Como disse, tudo depende do programa que você escolher, do seu objetivo e, claro, do seu bolso.

Casa de Família.

No meu caso, como a proposta do programa pelo qual optei (Au Pair) era vivenciar a cultura local e fazer parte de uma família, obviamente, morei em casa de família. Mas essa opção é usada em diversos programas, como cursos de idioma no exterior, especializações etc. Os pontos positivos de morar em casa de família são: você tem a oportunidade de praticar e aprender mais o idioma com nativos; conhecer mais profundamente a cultura na qual está se inserindo, já que participa do dia a dia da família; ter alguém cuidando de você; além de ser uma opção relativamente barata, já que a maioria oferece meia pensão (café da manhã e/ou jantar). Porém, os pontos negativos são: não há tanta liberdade; é preciso respeitar os horários da casa; a localização nem sempre é perto da escola/universidade e do centro (e você precisa dar um jeito de se descolar até lá); e ter alguém “cuidando” de você – o que nem sempre agrada a todos.

Dormitórios no Campus.

Os dormitórios são bem interessantes para quem quer um pouquinho mais de privacidade. Claro, você pode dividir o quarto com outro(s) roomate(s), mas o diferencial é que você não tem alguém “cuidando de você”. Apesar de divertidos, descontraídos, é preciso ter certeza de que esse ambiente bate com o seu perfil e objetivo. Talvez seja difícil de se concentrar nos estudos, por exemplo. Por outro lado, você terá muito mais contato com estudantes do mundo todo. Normalmente no campus não há “meia pensão”, logo, você terá que arcar com essa alimentação.

Residências Estudantis.

São opções bem populares, procuradas principalmente por aqueles estudantes que vão fazer cursos em universidades, já que ficam por um período mais longo, de no mínimo seis meses. É a famosa República Estudantil. Você tem muita liberdade e independência. Também é muito interessante para ter contato com pessoas de diversas nacionalidades. Neste tipo de acomodação você pode escolher quartos individuais ou compartilhados, com banheiro privativo ou coletivo. Há algumas opções que oferecem alimentação, mas normalmente as despesas ficam por sua conta.

Apartamento Estudantil.

Ideal para quem procura independência, liberdade e privacidade. Você pode ficar num apartamento ou Studio, sozinho ou dividir um apartamento de vários quartos com outros estudantes. Normalmente são quartos individuais, mas há a possibilidade de dividir com alguém. Ah, ótima opção para casais que fazem intercâmbio juntos. Geralmente os apartamentos são mobiliados e possuem utensílios básicos de cozinha, TV e internet.

Em todos os tipos de residência, o intercambista precisa se virar e lavar suas roupas, organizar suas coisas e, às vezes, preparar sua alimentação. Espera-se sempre um pouco de bom senso na hora de ajudar, principalmente, com a organização da residência. Lembre-se que ninguém ali é seu empregado e não tem obrigação de arrumar as coisas para você. A não ser, é claro, que você opte por ficar em hotel. Aí você terá conforto e mordomia. Contudo, seu bolso é que não gostará muito dessa ideia. 😉

Não deixe de ler sobre:

  1. Gabriela usa o CouchSurfing para se hospedar na casa de pessoas que não conhece
  2. Vai viajar? Veja como escolher uma acomodação online
  3. 7 coisas que você não deve fazer ao mudar para uma nova casa
  4. Dicas para moradia no Exterior

Faça seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.