Intercâmbio Vancouver: como fazer, melhor época, bolsas, quanto custa

Está considerando estudar na cidade mais multicultural do Canadá? Então, esse post é para você! Saiba tudo sobre como fazer um intercâmbio em Vancouver!

Não é segredo que a terrinha das folhas de maple chama a atenção dos estudantes internacionais por suas oportunidades e belezas naturais. Nesse sentido, dentre as opções mais populares de estudos no Canadá está o intercâmbio em Vancouver, uma das melhores cidades do país. 

A nossa queridinha “raincouver” (sim, chove um pouco por lá), oferece não apenas ótimas instituições de ensino, mas também muitas opções de lazer, custo de vida bastante atrativo e uma vivência cultural extremamente marcante para os intercambistas.

Está pensando em fazer um intercâmbio em Vancouver? Então, chega mais, porque eu separei algumas informações que podem te ajudar nesse planejamento. 

Por que fazer um intercâmbio em Vancouver? 

Vancouver tem motivos muito específicos para ser tão amada pelos estudantes internacionais e turistas que se aventuram pelo Canadá.

O primeiro deles, sem dúvidas, é a diversidade cultural. Mesmo em um país tão distinto e com costumes tão diferentes dos nossos, você pode encontrar não apenas outros brasileiros, mas também pessoas de qualquer canto do planeta, o que garante o aprendizado de novas culturas e diferentes visões de mundo. 

Outro ponto para a nossa linda “cidade da chuva” é a segurança. Sabemos que o Canadá em si já é considerado um país extremamente estável e seguro. Para se ter uma ideia, segundo o Índice Global da Paz 2020, a nação ocupa o sexto lugar entre os países mais seguros do mundo. 

Mas as cidades canadenses também não decepcionam. No relatório The Economist Intelligence Unit, Vancouver aparece como a sexta melhor cidade para se viver no planeta, dado que diz muito também sobre a qualidade de vida que a região oferece.

Além disso, o clima é bastante atrativo na cidade de Vancouver. Embora o inverno ainda seja um pouco severo (especialmente para brasileiros), marcando em torno de -5°C, no verão, os intercambistas podem aproveitar um solzinho de 30°C e, de quebra, “pegar” uma praia. Sim, Vancouver também é uma região bem litorânea

Por fim, a cidade também oferece inúmeras opções de lazer para todos os gostos. Você pode aproveitar um banhozinho de mar no verão ou, ainda, passear nas montanhas em climas mais amenos. 

Existem também diversas atividades radicais que os intercambistas adoram, como o Capilano Suspension Bridge Park, que não é nada mais nada menos que a ponte suspensa mais alta do mundo, com altura equivalente a um prédio de 23 andares. 

Ademais, é possível aproveitar os inúmeros parques, praças, museus, galerias, bares e restaurantes que a cidade possui. 

Quer conhecer mais sobre a terrinha das folhas de maple? Confira esse post: Intercâmbio Canadá: Veja o que você precisa saber

Melhor época do ano para fazer o intercâmbio

A melhor época do ano para viajar depende de uma série de fatores, principalmente as preferências do estudante, isso porque, como citado, a temperatura em Vancouver varia bastante durante o ano.

No entanto, como intercambistas, adoramos economizar, né? Então, se você gosta de climas mais amenos e quer aproveitar os melhores preços, o ideal é planejar a sua viagem para os meses de março a maio (primavera) ou setembro a novembro (outono).

Durante esses períodos, o número de turistas é muito menor no Canadá (que, geralmente, aproveitam mais as altas temporadas de verão e inverno), por isso, os preços são mais acessíveis. 

Imagem: Pixabay

Tipos de intercâmbio e acomodação em Vancouver

Assim como outras regiões do Canadá, em Vancouver, é possível fazer quase todos os tipos de programas de intercâmbio, dentre os principais, temos:

  • High School: para jovens de 14 e 18 anos que estejam cursando o ensino médio. Não é permitido que o estudante trabalhe no período de intercâmbio;
  • Intercâmbio teen: viagem no período de férias para jovens de até 18 anos. O estudante não tem permissão de trabalhar no período de intercâmbio;
  • Intercâmbio de idiomas: intercambistas maiores de 18 anos. O viajante também não pode trabalhar durante os estudos;
  • Intercâmbio de estudo e trabalho: disponível para os cursos de graduação e pós-graduação, assim como os cursos profissionalizantes (técnicos).

Se tratando das acomodações, as opções são quase infinitas, porém, depende do tipo de intercâmbio. Por exemplo, estudantes High School e Teen, geralmente, apenas podem ficar em casas de família (as chamadas homestay).

No entanto, se tratando dos intercâmbios de idiomas ou de estudo e trabalho, o estudante, normalmente, tem mais liberdade de escolher o tipo de acomodação que melhor se encaixa com as suas preferências e condições financeiras. 

Nesse sentido, além da homestay, o intercambista também pode optar por uma residência estudantil (geralmente da própria instituição de ensino), casa compartilhada e, até mesmo, acomodações desvinculadas da agência ou instituição, como o aluguel de um Airbnb, hostel ou hotel. 

Quanto custa um intercâmbio em Vancouver?

O custo de um intercâmbio em Vancouver possui inúmeras variáveis, como o tipo de curso, época da viagem e, até mesmo, o tempo que o estudante ficará no país. 

Mas, para termos uma ideia, um intercâmbio de idiomas de 4 semanas, com o curso, acomodação, seguro e alguns outros serviços, gira em torno de R$ 7 mil a R$15 mil. 

Já o chamado intercâmbio higher (ensino superior), pode chegar a um investimento de R$ 100 mil por ano. A boa notícia? Esse segundo perfil permite que o aluno trabalhe para se manter durante os estudos. 

Ao fazer o planejamento do intercâmbio, o estudante precisa considerar também os gastos pessoais (turismo, alimentação, celular, transporte e outros), passagens aéreas (ida e volta), seguros adicionais (como o seguro viagem) e documentação necessária (passaporte e traduções). 

É possível conseguir bolsas de estudos?

Bom, chegamos à parte que interessa: bolsas para estudar em Vancouver, temos? Essa pergunta não é tão simples de responder, porque depende do tipo de intercâmbio que você deseja fazer. 

O mais comum, é conseguir bolsas para os programas High School (eu citei algumas das principais neste post) e nos programas de graduação (também dei algumas dicas de bolsas neste outro post)

É possível também conseguir bolsas ou subsídios para os cursos profissionalizantes e cursos de idiomas, porém, tratam-se de programas que abrem com uma frequência bem menor. Vale a pena ficar de olho tanto nos perfis das universidades em Vancouver (que oferecem alguns programas relacionados), quanto aqui no Canal para receber novidades de bolsas.