Acomodação Estudantil ou Casa de Família?

Ana Beatriz, em sua coluna da dicas e compara acomodação estudantil vs. casa de família.

Eu trabalhava em uma agência de notícias em 2004 e na época foi contratada uma jornalista que tinha acabado de chegar de Londres. Ela tinha morado por dois anos e eu que sempre fui empolgada com a ideia de ir embora do Brasil, comecei a bombardear a coitada de perguntas. Ela ainda tentando se readaptar a velha-nova vida e eu sem parar de questionar: ônibus de dois andares? Dá pra ganhar dinheiro suficiente pra viver? Beatles? Muito frio? E as casinhas dos filmes?

Acomodação estudantil ou casa de família?
Acomodação estudantil ou casa de família?

No fim, quando eu já estava quase convencida a pegar uma mala e viajar ela trouxe o mapa de Londres, me deu uma aula e disse: “não se preocupe com o inglês, você é comunicativa e vai se dar bem”. Pedi demissão, comprei as passagens e comecei a organizar todos os detalhes da minha viagem: curso de inglês, documentos para o visto e casa para morar. A essa altura, a casa de família que eu tinha pago para morar pelas primeiras semanas teve um problema e eles tiveram que me realocar para uma residência estudantil, onde ao invés de morar com um casal de ingleses e me sentir “vivendo a cultura local”, teria que dividir os primeiros momentos com um monte de gente.

O meu objetivo de morar fora era conviver com os ingleses e participar da cultura, ver os hábitos e participar da rotina de uma família em outro país. E achei que morando com uma família tudo seria mais fácil, já que eu chegaria com casa para morar e alguém pra me explicar tudo. Normalmente eles cozinham para você e você participa da rotina diária, vai em eventos, na missa, conhece os amigos, vizinhos e normalmente mora um pouco mais afastado do centro, em bairros onde moram as famílias, o que faz com que o choque cultural seja menor, acredito eu. Provavelmente você vai começar a falar inglês mais rápido, já que para se comunicar com eles terá que fazer um esforço maior. O seu inglês vai se tornar bom muito mais rápido e eles poderão indica-lo para um trabalho ou apresentar para conhecidos também ingleses, ou seja, logo você se sentira um local.

Já na residência para estudantes, é cada um por si. Logo ao chegar você tem que “dar um jeito” de se comunicar. Na minha casa tinha 5 quartos e cerca de 10 pessoas – sim, cerca, porque sempre tem gente chegando e partindo. Todos os quartos eram divididos e tinha uma cozinha e um banheiro comum. A casa era limpa e em uma região muito boa, próxima à estação de metro e ônibus, com supermercados, lojas e padaria. Tem escala de limpeza e todos têm que colaborar. Uma vez por semana alguém da agencia vai ver se a limpeza esta sendo feita e tem multa para quem não obedecer. Fui com tempo de estadia na casa definido por 2 semanas, podendo renovar se eu quisesse e se tivesse vaga. Ali conheci uma russa, uma tcheca e alguns brasileiros. Todos estão chegando no país junto com você então além conhecer varias culturas de uma só vez, todo mundo está na mesma situação: procurando casa para mudar depois, tentando conseguir emprego, descobrindo como funcionam as regras do país, o supermercado mais próximo, qual tipo de transporte vale mais a pena comprar.

Dependendo da integração das pessoas, as visitas aos museus, parques, pontos turísticos acontece tudo junto. E assim você tem amigos que se tornarão sua família enquanto vocês estiverem morando lá fora. Quando for escolher o tipo de residência para morar, leve em consideração alguns aspectos: se você é sociável e prefere estar cercado de pessoas, se quer aprender a língua bem rápido, se quer ficar num grande centro, normalmente com mais estrangeiros, ou mais afastado do centro, onde moram as famílias? Assim fica mais fácil acertar.

Apesar da minha primeira opção de ter morado com uma família não ter dado certo, foi muito valido ter dividido casa logo no começo. Acabamos alugando outra casa depois e moramos juntos por quase dois anos. Celebramos festas de aniversário, cozinhamos juntos a ceia de natal e choramos com as despedidas. E há 10 anos fiz amigos que mantenho contato até hoje e vou levar para sempre no meu coração.

Leia as outras dicas minhas:

 

Créditos da imagem: Ffavim.com

Faça seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.