Dublin: Histórias, dicas e experiências de uma Dublinense

A Dublinense Aileen tem muitas histórias para contar!

Dublin: Histórias, dicas e experiências de uma Dublinense
Dublin

Conheça um pouco mais sobre a Aileen O’Keeffe, recepcionista da SEDA College, sempre tem um sorriso no rosto e muitas histórias para contar.

Confira uma entrevista com ela:

Aileen, de onde você é e como começou a trabalhar na SEDA?

Eu sou de Malahide e vivi em Dublin toda minha vida. Comecei a trabalhar na SEDA College há um mês. Eu estava procurando por um trabalho de recepcionista no centro da cidade porque adoro trabalhar com pessoas. É muito bom ver tantos estudantes de todas as partes do mundo – eu acho isso ótimo para expandir minhas ideias.

Qual a sua formação?

Eu me formei na faculdade há alguns meses. Estudei modelagem no Dun Laoghaire Institute of Art, Design & Technology. O curso está relacionado com animação, modelos para filmes, figurino, títeres, entre outras coisas. Mas eu desenvolvi principalmente modelos digitais em 3d para animações e propagandas. Também posso fazer modelos arquitetônicos, assessórios para cinema e diversos efeitos de partículas, como explosões, tempestades de neve, ondas… A indústria cinematográfica irlandesa ainda é pequena, mas bem sucedida. Há algumas poucas, mas ótimas, casas de produção em Dublin, como a Ardmore Studios. Além disso, vários filmes de animação feitos na Irlanda foram nominados ao Oscar – The Secret of Kells, por exemplo.

Você fala algum outro idioma, além do inglês? O que você acha de lidar com estudantes de todas as partes do mundo?

Eu falo um pouco de francês, mas nunca precisei falar aqui na SEDA. Na verdade é muito fácil se comunicar com os estudantes – mesmo quando algum deles não fala nada de inglês, sempre há uma maneira de se comunicar. Os estudantes são ótimos – eles estão sempre tentando melhorar. E, quando eles não sabem uma palavra, geralmente têm um dicionário consigo.

Como uma Dublinense, o que você recomendaria que os estudantes da SEDA vissem na cidade?

Eu sou de Malahide e posso recomendar a escola de navegação de lá, que é muito legal. É possível alugar kayaks e barcos para navegar próximo ao porto. Não é muito caro e você pode aproveitar o dia navegando ou praticando windsurf, o que é muito divertido!
Em Malahide, nós também temos um pier próximo à praia onde todos vão nadar. Há uma tradição de fazer um grande nado coletivo todo dia 1º de janeiro: pessoas de todas as idades pulam no mar e nadam na água congelante.

Você já tentou fazer isso?

Sim, eu tentei uma vez e foi bem legal e refrescante. Para dizer a verdade, estava absolutamente gelado e você ainda tinha que ficar atento com as medusas. Quando a maré está cheia aparecem centenas de medusas na água e isso é assustador.

Acho que fiquei uma meia hora na água. Eu estava usando apenas uma roupa de banho normal e não tinha nenhum preparo ou condicionamento prévio. No começo você sente muito frio, depois fica muito quente e então você deixa de sentir seus pés. E essa é a parte legal – quando você perde a sensação nos pés fica muito melhor porque você se acostuma com o frio. E é só quando você sai da água que começa a sentir muito frio.

Algum lugar legal que você possa recomendar no Centro de Dublin?

Há um restaurante coreano na Parnell Street, do outro lado da rua do Fibber Magees pub. Ele se chama Hop-House e é muito legal. Tem o Brazen Head pub na Lower Bridge Street com filmes gratuitos todas as quartas-feiras à tarde. Eles colocam um telão no bar e passam filmes antigos. As galerias em Dublin também são fantásticas, como a Science Gallery, a Royal Hibernian Academy e a Hugh Lane Gallery, que fica bem perto da SEDA. Eu também recomendaria a Tea Garden, em Ormond Quay.

E como você comemora o St. Patrick’s Day?

A faculdade onde estudei – IADT – sempre ajuda com algumas coisas para a parada em Dublin, então eu desfilei por 3 anos! Um ano eu fui uma astronauta, no outro eu estava empurrando um dos carros e no próximo eu fui fantasiada de gato… Este ano eu não pude participar porque os ensaios eram muito tarde para mim.

Como era estar na parada? Você sente falta?

Era muito legal! No St. Patrick’s Day há dois anos estava muito quente e eu tive que usar uma fantasia gigante de astronauta. Estava tão quente que todo mundo ficou muito cansado, suando em sua fantasia. Você tinha que fingir que era um astronauta e havia uma música do Michael Jackson tocando, então nós tínhamos que fazer o moonwalk a cada 20 passos. Depois disso, precisávamos fingir que estávamos na gravidade zero. Às vezes o desfile parava e você tinha que fazer uma performance ali mesmo – correr em círculos, cumprimentar as pessoas, fazer o “high five” astronauta e por aí vai… Era preciso ter muita energia o tempo todo. Foi exaustivo! Quando todos tiraram suas fantasias, nós tivemos que ir trocar de roupa antes de sair naquela noite, porque todos estavam ensopados de suor. Apesar disso, foi muito divertido.

www.sedacollege.com
Maiores informações:
[email protected]

Faça seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.