Dicas de como você pode poupar dinheiro ganhando pouco

Quando o assunto é o orçamento, a maioria das pessoas está condicionada a pensar que não gastar é sempre melhor do que gastar.

Dicas de como você pode poupar dinheiro ganhando pouco
Dicas de como você pode poupar dinheiro ganhando pouco

SÃO PAULO – Quando o assunto é o orçamento, a maioria das pessoas está condicionada a pensar que não gastar é sempre melhor do que gastar. Essa lógica, porém, nem sempre é verdadeira. De acordo com consultores financeiros entrevistados pela equipe InfoMoney há uma série de gastos que valem a pena.

Desenvolvimento de carreira

E o primeiro deles são aqueles relacionados ao desenvolvimento profissional. Dinheiro gasto em um intercâmbio, em um MBA (Master Business Administration), no aprendizado de idiomas ou em qualquer outro curso que contribua para o seu crescimento profissional nunca será desperdício. Ou seja, vale muito mais a pena gastar do que poupar.

A grande questão nesse ponto, conforme explica o consultor da Dinheiro em Foco e autor do livro ‘O Ciclo da Cigarra Milionária’, Ricardo Fairbanks, é pensar mais no longo prazo do que no curto prazo. Quando a pessoa é mais imediatista, a tendência é considerar um gasto desse tipo como um desperdício, pois há um grande desembolso momentâneo que não trará um retorno tão rápido.

Porém, quem pensa no longo prazo entende que em alguns anos esses milhares de reais gastos em um MBA, em uma pós-graduação ou em intercâmbio trarão retornos financeiros extremamente significativos.

Essa lógica também pode ser adotada na escolha do emprego. Preferir, por exemplo, uma posição que pague mais, ao invés de outra que, apesar do salário menor, ofereça maiores condições e oportunidades de desenvolvimento é um grande engano. “Adquirir habilidades e competências será extremamente importante para o futuro”, ressalta o consultor. Ou seja, o dinheiro que você deixa de ganhar, pode ser visto como um investimento na sua carreira.

Esportes e saúde

Assim como investir na carreira é um gasto perfeitamente justificável, desembolsos para manter sua saúde em dia também serão. Pagar – e frequentar – uma academia de ginástica, ou qualquer outra atividade esportiva, como tênis, lutas e dança, é muito mais um investimento do que um desperdício. Isso porque, estar fisicamente bem condicionado ajuda na sua produtividade no trabalho, o que pode render ganhos financeiros, através de promoções, por exemplo.

Profissionais atletas são muito bem vistos no mundo corporativo. Fairbanks comenta que quando recebe um currículo para preencher uma vaga, considerada como um grande diferencial os candidatos que são ou foram atletas. “Isso mostra que são disciplinados, que sabem trabalhar em equipe e que não são acomodados”, diz. “São pessoas que gostam de desafios, que querem crescer, melhorar e entregar resultados”.

Além de te promover no mundo corporativo, investir em esportes é bom para a saúde. Logo, vai evitar ou reduzir a necessidade de gastos com remédios e pode ajudar a reduzir o prêmio pago para a operadora do seu seguro de saúde. No longo prazo, esse investimento também pode ser muito interessante.

Eletrônicos que trazem produtividade

Assim como as empresas bem equipadas tecnologicamente possuem um diferencial competitivo, profissionais com dispositivos eletrônicos que os permitam se conectar e trabalhar de forma mais produtiva, rápida e ágil terão um retorno maior do que os que não investem nesses recursos.

“Os aparelhos melhoram a forma como você faz determinadas tarefas, logo trazem mais resultados”, diz o consultor. Assim, se um iPad ou um iPhone te trouxer mais produtividade no trabalho, e não forem meramente desejo de consumo, nada mais justo adquiri-los.

Seguro de vida e jovens

Normalmente, só os mais velhos se preocupam em fazer um seguro de vida, principalmente por já terem família. Entretanto, para o fundador e CEO da Life Finanças Pessoas, André Novaes, os mais jovens se esquecem que o seguro de vida também protege contra invalidez. É um gasto, sim, mas em caso de uma fatalidade, você está coberto.

Além disso, o relacionamento que os consumidores têm com suas seguradoras conta muito. Caso já tenha um seguro de vida há anos, quando estiver mais velho, o prêmio pago pelo seguro não será tão alto quanto pagaria se fosse um novo cliente.

Lado pessoal também conta

“Não adianta você investir só no lado profissional, é preciso investir em você também” sugere o consultor financeiro da ZR Consultoria, José Rubens Alvarez. Se tem vontade de fazer um curso de esoterismo ou de fazer uma viagem, faça. “O lado pessoal e lado profissional têm que andar de mãos dadas”.

Se tem vontade de fazer um sabático, por que não? Faça um bom planejamento, poupe alguns meses e, se realmente for seu desejo, tire um ano para refletir em algum lugar do mundo.

Projeto de vida

Segundo Novaes, os gastos são justificáveis quanto estão dentro de um contexto. Ou seja, fazer cursos, é sim importante e relevante para a carreira, mas é preciso saber escolher o curso certo e que esteja de acordo com o seu plano de carreira.

Assim, os gastos serão positivos quando forem destinados para algo que vá de acordo com seu projeto de vida, caso contrário, é dinheiro jogado fora. “Antes de pagar, reflita sobre seu propósito. Quando você sabe o que quer, aonde quer chegar, fica mais fácil direcionar corretamente seus gastos”, explica Novaes.

Dúvidas?

Você ainda tem dúvidas e precisa de orientações para o planejamento do seu intercâmbio? Então envie sua dúvida através do nosso formulário de intercâmbio!

Todas as informações contidas nessa publicação pertence ao site InfoMoney.

Faça seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.