Amigos brasileiros atrapalham o intercâmbio?

O papo de hoje é sobre ter ou não amizade com pessoas que falam a mesma língua que você durante o intercâmbio.

Amigos brasileiros atrapalham o intercâmbio?
Amigos brasileiros atrapalham o intercâmbio?

Oi, gente!

Esse é um assunto delicado e, adivinhem… Não há uma resposta definitiva para isso. Pois é, só quem poderá responder essa questão é você e pra isso é preciso levar em conta seu objetivo e maturidade.

É importante lembrar que intercâmbio não é uma viagem barata. Você e/ou seus pais tiveram que fazer um belo sacrifício, economizar bastante para que esse momento pudesse ser vivido. O intercâmbio é um investimento na sua carreira profissional e na sua vida pessoal, por isso você precisa ter certeza de que o está aproveitando ao máximo.

“Aproveitar ao máximo” não quer dizer, entretanto, enfiar a cara nos livros full time. É importante estudar sim, mas também se deve ter um tempo de lazer, de viajar, de bater perna pela cidade, de fazer compras, de conversar com as pessoas, de ir a festas, enfim, de relaxar. E se você puder fazer tudo isso no idioma o qual você se propôs a aprender, perfeito! Seu aproveitamento será de 100%.

Contudo, sabemos que, por mais divertido e empolgante que seja a experiência de morar em outro país, uma hora ou outra vai bater aquela saudade imensa da nossa família, dos nossos amigos, da nossa comidinha brasileira e até do português. Nesse caso, ter amigos que falam a nossa língua ajuda um pouco a amenizar essa saudade (e às vezes até a tristeza). Por isso é que não há uma resposta definitiva sobre se ter amizade com pessoas que falam sua língua é bom ou ruim para o intercâmbio.

No meu caso, na minha primeira experiência de intercâmbio, tive muitos amigos brasileiros. Passava muito tempo com eles. Muito tempo mesmo. Resultado? Meu aproveitamento não foi tão bom. Já na segunda experiência, por mais que eu tivesse voltado para o mesmo local, com os mesmos amigos, como eu estava morando em uma cidade um pouco mais afastada, meu contato com eles se restringia basicamente ao fim de semana. Ou seja, dessa vez tive um aprendizado muito superior. E o melhor, sem eu precisar abrir mão deles. Só foi necessário um pouco de equilíbrio.

Dessa forma, acredito que o primeiro passo deva ser você fazer uma autoanálise. Considere sempre o seu objetivo. Lembre-se do porquê de ter viajado. Ter amigos é sempre muito bom. Então, para evitar ter que “fugir” de alguém, tente manter diálogos sempre no idioma local. Claro, se você ver que é muito complicado fazer isso e que vocês sempre recorrem ao português nas horas mais difíceis ou mesmo quando a preguiça fala mais alto, então tente diminuir um pouco o contato com eles e fazer mais amizades com nativos e outros estrangeiros.

O ideal é que você explore a oportunidade de falar outra língua, saia da sua zona de conforto. Teste seus limites. Assim, amizade com novas pessoas e culturas diferentes não ajudarão somente o aprendizado de um novo idioma, mas te enriquecerão como pessoa.

Saiba também: Namorar durante o intercâmbio dá certo?
E não deixem de visitar a ~> minha coluna <~ com várias dicas para vocês!

Faça seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.